Como demorou!!

Rivkah Cohen

Quanto dano!
Ninguém ouvia seu grito,
nem entendiam
o porquê de se debater tanto!
Era como se o mundo a tivesse prendido
e uma loucura
fosse a causa do engano...

No olho,
uma lágrima, sem cair, quase dura;
na boca,
a ausência de riso,
própria do abandono;
os cabelos,
perdendedo a cor, o viso;
no coração,
o cansaço do desmando!

Como demorou
para que visse
que o que nasceu libre,
lá dentro, se agigantou!

Como demorou
para que sentisse
que nem o vento
mexe no equilíbrio
do que se edificou!

Como demorou
para que sossegada e ouvisse
as notas cristalinas do amor!

Rivkah Cohen

***
Respeite os direitos autorais
Postado em 03.04.2009
***

Voltar