Alma deserta

Ligia Tomarchio

desertei de mim
desterrada e marcada
punhal cravado
COVARDE
mágoa a sangrar
quisera poder amar
agressor invisível
COVARDE
breu sobre luz
turva visão
cegou minha esperança
COVARDE
escalpo na areia quente
demente ser opressor
grito horripilante
COVARDE
só com meu deserto
escaravelhos, cobras, escorpiões
touro sedento surge
foragido da floresta sombria
mago do mal
COVARDE
socorro!...

Ligi@Tomarchio®
SP -19/11/2004

***
Respeite os direitos autorais
Postado em 27.02.2009
***

Voltar