A Magia que posso ver


Pena
não poder comentar,
mas pelo menos
vou dizer para vocês
que
uma por uma das notas
saem da partitura,
dão passos,
fazem voltas,
ao comando da batuta
e é belo de se ver!

É um espetáculo
onde loucos
e crianças
foram os poucos
que a essa beleza
souberam corresponder.

Si,
graciosa e longilínea
é voluntariosa,
mas faz tudo certo
e dança sorrindo
quando o maestro
indica que é sua vez;

Ré,
apesar das pernas grossas
nem se esforça
num "demi-plié"
e assim
vão seguindo
até a chegada da Sol.

Elohim,
que coisa mais linda!
Que maravilhoso seu balancé!

No ar borrifos dourados
quando mi bemol
faz seus passos a seu lado
que até o Fá
prefere ficar calado.

Já vi
criança bem pequenina,
sorrir
e com suas mãozinhas
tentar reter,
mas se dissipam,
num movimento engraçado,
deslizam.
No rastro deixam um brilho
que continua a entreter.

É um bailado
tão especial, tão bonito
que hoje,
não me contive
e caí no deslize
de contar para vocês..


Voltar